Performance e o HTTP/2

Performance é um fator vital em nossas aplicações web, falando de performance de front-end, ela é uma das maiores responsáveis pelo tempo que nossas páginas demoram para carregar.

O HTTP/2 é uma nova versão do protocolo de comunicação que utilizamos na web, ele vem com vários benefícios que trazem muitas melhorias para nossas aplicações.

O principal objetivo do HTTP/2 é o de reduzir a latência de comunicação, possibilitando a paralelização de requisições com multiplexing, a diminuição de overheads causados pelo protocolo (utilizando uma compressão eficiente de headers HTTP), o suporte a priorização de requisições e a possibilidade de pushs vindos do servidor.

Continue reading

Codificando Night Week: Performance Web com ASP.NET MVC

Performance é uma fator de sucesso ou fracasso para nossas aplicações, seja para melhorar a experiência do usuário ou para diminuir o uso de recursos computacionais ela é muito importante. Veja nesta apresentação os principais fatores e as principais técnicas para melhorar a performance de nossas aplicações web.

 

Evento: https://www.youtube.com/watch?v=TLHvLgdeF3w

Github:

https://github.com/rodolfofadino/DemoFrontEnd

https://github.com/rodolfofadino/DemoIISThread

Entity Framework, performance e uso de índices em cenários de grandes volumes

O Entity Framework é um ORM extremamente completo, que traz diversos recursos como: testabilidade, implementações assincronas(Await e Async), configurações baseada em codigo(code-based configuration), mapeamento para store-procedures, migrations e até interceptores e logs para as consultas.

Porém em cenários como quado configuramos o mapeamento do objeto manualmente, ou mesmo cenários em que o volume de dados ou requisições é grande, olhar e analisar a consulta que o Entity Framework gera é muito importante para indentificar possiveis gargalos ou melhorias. Tenho utilizado o EF com sucesso em várias aplicações, tive alguns problemas que foram gerados por como o banco estava estruturado e como eu fiz a configuração do mapeamento.

Neste post vou mostrar como é possivel analisar a consulta SQL que é gerada pelo EF,  mostrarei também um exemplo prático de como isto foi útil em um problema que tive.

Continue reading

Como ganhei 2,4s no carregamento do meu blog (6ª regra: Coloque os scripts no final da página)

Estava analisando o tempo de carregamento do meu blog pelo Google Analytics, e percebi que estava com um tempo muito alto, e que variava muito dentro de um curto período.

Resolvi dar uma lida no html que meu blog reenderizava, lembrando que no caso do WordPress, o html final depende de vários elementos como: tema, plugins e configurações.

No meu caso, identifiquei facilmente que alguns scripts eram carregado no header da pagina: Continue reading